• Dia Mundial da Cruz Vermelha e Crescente Vermelho

Breve historial

A Sociedade Portuguesa da Cruz Vermelha (SPCV),depois Cruz Vermelha Portuguesa (CVP) fundada pelo médico militar José António Marques, a Cruz Vermelha Portuguesa iniciou a sua atividade a 11 de Fevereiro de 1865, sob a designação de Comissão Provisória para Socorros e Feridos e Doentes em Tempo de Guerra.

Vila Real, através da sua imprensa, no último terço do século XIX, foi acompanhando a atividade desta sociedade. Muitos vila-realenses, assim como várias instituições, foram chamados a apoiar as suas iniciativas cada vez mais frequentes, a inscreverem-se como associados e a contribuírem financeiramente para as atividades a desenvolver. O contexto da Primeira Guerra Mundial ajudou a acelerar o processo da criação de uma delegação da Cruz Vermelha em Vila Real. São momentos importantes, os seguintes:

  • 10 de Janeiro de 1916 - Sessão de esclarecimento. As reuniões nesse sentido sucederam-se a partir de Novembro de 1915 e em 10 de Janeiro de 1916, no salão nobre da Associação dos Bombeiros Voluntários de Salvação Pública, teve lugar uma reunião presidida pelo Dr. António José da Costa Sampaio, que expôs de forma clara os fins humanitários da Sociedade, e foi secretariada pelos Srs. Joaquim Botelho, 2º Sargento do R.I. 13, e José dos Santos Barreira, Farmacêutico. Esta reunião teve a participação, além de numerosa assistência, a Câmara Municipal, o Hospital, as duas Corporações de Bombeiros e diversas confrarias. Discutiram-se, igualmente, as bases para o estabelecimento da referida delegação, que a Direção Central, recebida a ata da reunião, de imediato autorizou, prometendo enviar algumas macas, logo que a mesma estivesse definitivamente instalada.
  • 22 de Janeiro de 1916 - Nesta data foi escolhida a direção da Comissão Organizadora da Delegação Distrital de Vila Real (CODDVR).
  • 27 de Janeiro de 1916 Tomada de posse da CODDVR): Presidente, Dr. José Coelho Mourão, Secretário do Governo Civil de Vila Real; Vice-Presidente, Rodrigo da Nóbrega Pinto Pizarro; Secretário, José dos Santos Barreira; tesoureiro, Padre Filipe Correia de Mesquita Borges (considerado a “alma da Delegação” distrital); vogais, Francisco Maria Pereira Araújo, Ilídio Ruas, Francisco Augusto dos Santos Mesquita, Dona Zara de Carvalho Araújo e Dona Maria Guedes Mourão. O Dr. António José da Costa Sampaio, nomeado nessa ocasião chefe-diretor, assumiu a responsabilidade pelo corpo ativo (Companhia nº 10). Então, teve início uma campanha de novos associados e promoveu-se o alistamento do pessoal das ambulâncias (“ambulâncias” significa um destacamento de socorro com médicos e um pequeno hospital de campanha). O Dr. Henrique Ferreira Botelho, médico como o Dr. António Sampaio e a quem posteriormente competirão novas responsabilidades, pôs à disposição, para sede da Delegação, uma das dependências do seu consultório, na altura instalado no Palacete Torres.
  • 20 de Fevereiro de 1916Primeira sede. A bandeira foi hasteada no dia 20 de Fevereiro, na sua primeira sede, na Rua Serpa Pinto, no 1º andar, do edifício onde mais tarde funcionará o Café Excelsior, propriedade de Joaquim Augusto Ferreira, vereador da Câmara Municipal e importante comerciante de fazendas.
  • 1920 Extinção da delegação - Em princípios de 1920, a delegação de Vila Real foi extinta, depois de um período intenso de atividade, destacando-se o apoio aos militares envolvidos na Grande Guerra e suas famílias; a ação desenvolvida aquando da gripe pneumónica, epidemia que motivou a presença em Vila Real do Presidente da República, Doutor Sidónio Pais, nos dias 24 e 25 de Setembro de 1918, numa altura em que estavam declarados aproximadamente dois mil casos e faleciam em médias vinte pessoas por dia; e as incursões monárquicas no Norte, nomeadamente o combate de Parada de Cunhos no dia 7 de Janeiro de 1919, altura em que a Cruz Vermelha arvorou a sua bandeira no Hospital Militar, assistindo aos feridos na linha de fogo.
  • 28 de Julho de 1977 - Reinstalação da delegação - Sob a presidência de Fernando Ferreira Borges, a Delegação Distrital (re)instala-se em 28 de Julho de 1977, sob o pretexto da grande operação nacional de apoio à chegada, instalação e encaminhamento dos portugueses regressados das colónias.

LISTA DE PRESIDENTES APÓS REINSTALAÇÃO

Fernando Ferreira Borges – 1977 -1988

Professor Doutor Fernando Nunes Ferreira Real – 1988 - 1995

Dr. Armando Afonso Moreira – 1991 -2008

Coronel António Francisco Dias Vieira – 2008 a 2016

Coronel Joaquim do Cabo Sabino – desde 15.09.2016

ACTOS

Após o 25 de Abril procedeu-se à instalação da sede em edifício de sua propriedade, do voluntariado junto do Centro Hospitalar de Vila Real - Peso da Régua e à instalação de uma Unidade de Medicina Física e de Reabilitação); melhoramentos nas instalações, renovação da frota automóvel, aquisição de uma tenda de 18 m2 para utilizar  em ações de divulgação, aquisição de novas ajudas técnicas (andarilhos, cadeiras de rodas e camas articuladas; nesta altura existem aproximadamente 550 ajudas técnicas, na suas grande maioria em uso) e, entre outras, a contratação de uma Psicóloga para apoio ao Programa Nacional de Prevenção de Violência Doméstica.

CONDECORAÇÃO

 Delegação foi distinguida pela Câmara Municipal de Vila Real em 2013 com a medalha de Prata de Mérito Municipal e em 2016 com a medalha de Ouro de Mérito Municipal.

Powered by jms multisite for joomla